Veja como foi a nossa Primeira Oficina de Técnica Vocal de 2019

Aconteceu no último dia 15 de janeiro uma Super Oficina de Técnica Vocal e Expressão Corporal, com a professora Kellyta Martins.

Aconteceu no último dia 15 de janeiro uma Super Oficina de Técnica Vocal e Expressão Corporal, com a professora Kellyta Martins. A oficina que contou com a participação da professora Gleyce Vieira e com o professor Caio de Marias. Estiveram presentes alunos de canto do INFOMUC e o público externo que se inscreveu para participar do evento. Foi uma manhã agradável e enriquecedora para todos os que estiveram presentes!

O INFOMUC aproveitou o período de janeiro para iniciar atividades como essa aqui no nosso Instituto. E já estamos nos programando para repetir a dose!

Participaram pessoas de todas idades: crianças, jovens, adultos e teve até participação da melhor idade. Todos os que estiveram presentes na Oficina de Técnica Vocal, aprenderam técnicas incríveis para cantar melhor, usando do seu corpo como ferramenta para melhorar a sua performance como exercícios corporais, de afinação, de postura, de apoio, de dicção, muitos exercícios diafragmáticos, além de técnicas de canto em grupo. E os alunos puderam em três horas de evento, trabalhar essas técnicas, e aplicando e forma prática na sua musicalidade.

A ideia é fazer com que os músicos de Recife adquiram um maior conhecimento técnico e que sejam estimulados a estudar música, buscando cada vez mais o domínio da sua musicalidade. E neste evento os professores do INFOMUC mostraram como é importante desenvolver técnicas para cantar cada vez melhor.

Oficina de Técnica Vocal foi bem avaliada pelos participantes

Os alunos aprovaram a iniciativa e já estão esperando por novas oficinas. Para eles, a Oficina de Técnica Vocal poderia ser repetida mais vezes para que todos pudessem trabalhar o seu dom. Se você deseja participar dos próximos eventos, fique ligado nas nossas redes sociais: todas as iniciativas serão mostradas em primeira mão por lá. Enquanto isso, confira os melhores momentos do evento:

Conheça nossos sites e redes sociais! Queremos muito ter você conosco. Acesse:

Instituicional: https://infomuc.com.br
Escola de Música: https://escola-de-musica.infomuc.com.br
Produção Musical: https://producao-musical.infomuc.com.br

Estamos no facebook: https://www.facebook.com/INFOMUCOFICIAL
Siga-nos no Instagram: https://www.instagram.com/infomucoficial
Se inscreva em nosso canal do Youtube: http://bit.ly/YOUTUBEINFOMUC

PROGRAMA NOVA ESPERANÇA REALIZA DOIS PROGRAMAS SOBRE A II AUDIÇÃO DO INFOMUC

Programa Nova Esperança

A TV Nova Nordeste traz em sua programação semanal o programa Nova Esperança – Apresentado pelo querido amigo Eduardo Amâncio. O programa é exibido pela manhã de segunda a sexta das 08h00 às 08h30. Ele aborda temas diversos como religião, cultura e atualidades, sempre trazendo informações importantes dentro do cenário da Arquidiocese de Olinda e Recife. No dia 08 de dezembro, eles estiveram presentes na II Audição do Infomuc e dedicaram dois programas sobre o evento. Fizemos um resumo dos programas e postamos aqui para você. Se você já viu, poderá rever e se você não viu, poderá assistir agora. Neles, nossos alunos mostraram todo o seu talento nestes dois programas, que claro, recomendamos!

Sobre a II Audição INFOMUC

Já havíamos mostrado como foi a nossa II Audição neste post, e também divulgado diversos vídeos em nosso Canal do Youtube, mas agora você confere este resumo de forma bem mais completa. Então pegue a pipoca e divirta-se com o show dos nossos alunos e com as entrevistas pra lá de divertidas do Eduardo Amâncio – O nosso “Comunicador Eclesiástico”, que entrevistou alunos, pais e professores. São dois programas muito legais que agora você encontra aqui no Blog do INFOMUC. Assista e se divirta com lindas canções interpretadas pelos nossos professores e alunos.

Primeiro Programa Nova Esperança – TV Nova | Exibido dia 14/12/2018 | Créditos TV Nova


Segundo Programa Nova Esperança – TV Nova | Exibido dia 17/12/2018 | Créditos TV Nova

Como assistir o programa Nova Esperança?

Se você está se perguntando onde e como assistir o Programa Nova Esperança, vamos dar a dica para você. Assista na TV Nova Nordeste de Segunda a Sexta, das 08h00 às 8h30 da manhã. E só lembrando: Se você deseja estudar música e se tornar um aluno do INFOMUC, entre em contato conosco e agende agora mesmo uma aula experimental gratuita. São mais de 20 cursos para você. Matricule-se já!

II AUDIÇÃO DO INFOMUC: UMA TARDE DE MÚSICA E ALEGRIA

Veja como foi a II Audição do Infomuc
Aconteceu no dia 08 de dezembro aqui no nosso auditório a II Audição para Alunos do INFOMUC. O evento contou com mais de vinte apresentações entre alunos e professores e foi um sucesso: Mais de 200 pessoas estiveram no local assistindo e aplaudindo nossos alunos. A audição teve como objetivo mostrar aos amigos e familiares, tudo que os alunos aprenderam em seus respectivos cursos. 


Estilo e diversidade

O que marcou a nossa tarde foi a diversidade de ritmos e estilos. Os alunos apresentaram canções que variavam do clássico ao contemporâneo, das canções infantis aos cantos sacros. Da música popular a música religiosa. E quem participou do evento pode entender o que significa a música para cada dos alunos.
Audicao-infomuc-1-1024x683 II AUDIÇÃO DO INFOMUC: UMA TARDE DE MÚSICA E ALEGRIA


O resultado de um trabalho bem feito

Para Celivaldo Lira que é um dos fundadores do INFOMUC, esta audição mostra o resultado de um trabalho de um semestre inteiro, onde os professores e alunos se empenharam para fazer música de qualidade. E mostra também uma evolução com relação a primeira audição. Nesta, pudemos ver apresentações diversas com instrumentos diversos. A presença dos pais, a participação dos convidados e a entrega dos alunos foi o grande diferencial da audição. Para ele, eventos assim sempre motivam a perseverar no projeto e melhorá-lo, fazendo com que uma evolução e expertise aconteçam sempre.

Uma experiência incrível!

Audicao-infomuc-2-1024x683 II AUDIÇÃO DO INFOMUC: UMA TARDE DE MÚSICA E ALEGRIA
Para Gabriel Esteves, aluno de canto do Infomuc, a audição foi maravilhosa pois foi a primeira vez em que ele se apresentou assim. Ele também disse que além da oportunidade de cantar, ele teve a possibilidade de ouvir outros alunos e ver o processo evolutivo de cada um deles. Outra aluna do curso de canto, Clara Menezes também afirmou que a audição foi incrível. Foi a primeira vez que ela cantou para um público fora da Igreja. Além disso ela pode constatar a sua evolução e crescimento, fruto do trabalho desenvolvido pela professora Kellyta Martins. 


Um sentimento de dever cumprido

Durante toda a audição, os professores ouviram diversos elogios e agradecimentos por parte dos pais e familiares dos alunos. Para a professora de canto e coordenadora de música do Infomuc, Kellyta Martins, a audição foi realmente fantástica, por que ela viu alunos que nunca se apresentaram em público mostrarem seu talento com muita desenvoltura e segurança. Para ela, a II Audição também foi importante por ver o aumento no corpo de professores presentes, de alunos se apresentando, da variedade de instrumentos e ritmos, e pela qualidade da apresentação dos alunos.
O Infomuc agradece a participação de todos os alunos e aos familiares e amigos que prestigiaram o evento. E já estamos pensando em outros eventos para os nossos alunos. 2019 promete e queremos contar com todos vocês! E se você deseja estar presente na próxima audição como aluno, escolha um curso e matricule-se hoje mesmo para trabalhar seu talento e marcar presença em todos os projetos futuros que o INFOMUC tem reservado para você. Acesse aqui para escolher seu curso e ganhar uma aula experimental gratuita!

CANTAR FAZ BEM. QUER SABER A RAZÃO? EU TE CONTO!

Cantar faz bem. Quer saber a razão? Eu te conto!
Cantar faz bem para o corpo, para a alma e para a mente. E serve qualquer ritmo: samba, ópera, sertanejo, rock, pagode, axé, bossa nova. O segredo é soltar a voz e sentir-se bem. Pegue carona nos programas de calouro e comece a cantar. É simples assim! Solte a voz e sinta os benefícios do canto na sua vida! Já falamos dos benefícios da música nosso blog aqui e aqui. Mas a música traz tanta coisa bacana que ainda temos muito para falar.

Comece deixando de lado a vergonha, escolha um lugar onde ninguém vai te atrapalhar, como o carro ou o chuveiro e  cante. Vai fazer um bem enorme a você! Duvida? Então confira alguns benefícios que o canto traz a sua vida.


Relaxar e aliviar a Ansiedade

A rotina anda tão cheia de tarefas que todo mundo vive ansioso, sob pressão. Mas a ansiedade faz com que o corpo fique, de forma desnecessária, em permanente estado de alerta – a adrenalina dispara e a reserva de ar nos pulmões aumenta. E isso só piora a angústia! Cantar nos obriga a colocar tudo para fora e relaxar.


Soltar as emoções presas e diminuir a timidez

Cantar é uma forma de expressão que mexe profundamente com as nossas emoções, porque a gente sente o que canta. E, quanto mais variadas as músicas, maior é a quantidade de sentimentos que deixamos aflorar. Além disso, é uma ótima terapia para os tímidos. Muitos artistas são tímidos na vida, mas, no palco, botam pra quebrar!


Turbinar a autoestima

Ninguém acha que canta bem, né? Isso acontece porque a voz que nós ouvimos é diferente da voz que os outros ouvem. Arriscar um refrão em alto e bom som, portanto, é uma maneira de parar de se preocupar com a opinião dos outros e apostar no próprio potencial sem medo de errar ou desafinar. É cantar para se sentir bem e pronto! Precisa algo mais?


Respirar corretamente

Quando a gente canta, é obrigada a respirar de forma mais profunda e controlada. E, naturalmente, repetimos isso ao longo do dia e respiramos melhor. De quebra, massageamos o diafragma, que se contrai ao inspirar e relaxa ao expirar e soltar o ar dos pulmões.


Melhorar a postura

Se a respiração é tão importante assim para o canto, não dá para cantar agachadinho ou encolhido, certo? Para arrasar no karaokê, tem que manter uma boa postura.
Agora se você deseja cantar bem, afinado e arrancar aplausos de todos que te ouvirem cantar. Venha estudar no INFOMUC. Nosso time de professores é graduado e especializado e vai ajudar você a cantar como um profissional. Veja como se matricular aqui.  Qualquer dúvida ligue (81) 3129-0307/98253-0458 (whats app) 

QUAL O MELHOR VIOLÃO PARA INICIANTES?

Qual o melhor violão para iniciantes?

O melhor violão para iniciantes, nem sempre é o mais caro ou o mais moderno. Quando você vai comprar o seu primeiro violão, é normal ficar perdido diante de tantas ofertas ou achar que o violão mais caro é o ideal para o seu início. Por isso vemos muita gente que vai começar a tocar violão, ter um violão caríssimo e desistir no início. E foi pensando nisso que nós do INFOMUC criamos esta matéria para você. Mas antes de mostrar as opções escolhidas, é necessário falar um pouco mais sobre este instrumento, para que você conheça bem como ele é feito e quais são as suas partes.


As partes do violão

A primeira coisa que se deve considerar em um violão é a madeira com a qual ele é feito. É ela a responsável por dar ao instrumento uma sonoridade diferenciada. As partes de um violão são feitas com madeiras diferentes e depois coladas. Elas são: o fundo, a lateral e o tampo. Como cada parte é feita com uma madeira diferente, é comum ver violões com preços diferentes, levando-se muito em consideração as madeiras com as quais o violão foi confeccionado.

Um outro aspecto com relação ao violão é a questão da ressonância. Quando um violão é confeccionado, seu corpo se transforma em uma espécie de caixa acústica. Isso faz com que o som seja mais forte, mais cheio e mais intenso. A isso nós chamamos de caixa de ressonância. A madeira com que o violão é confeccionado, interfere muito nesta caixa de ressonância, e esta por sua vez interfere na qualidade do som produzido.


Braço e escala do violão

O braço e escala podem ser feitos ou não com a mesma madeira. O braço se divide no braço propriamente dito e a escala. A escala é a parte da frente do braço, onde vemos os trastes, feita com uma madeira mais fina. O braço propriamente dito é o restante da madeira que o compõe.

Se você procura um violão para iniciantes, uma boa dica é procurar um violão cujos trastes 
não sejam muito altos. Quanto mais alto os trastes, mais força o violonista fará.


Entre a escala e o braço propriamente dito, alguns violões tem uma barra de metal chamada tensor. Ele serve como um reforço para o braço. Quando esticamos as cordas do violão, elas geram uma força no braço que muitas vezes tende a mexer na estrutura da madeira. Graças ao tensor, isso não acontece.

O tensor pode ser ajustável ou não. No entanto o ajuste desse tensor é sempre feio por um luthier (técnico de violões). É importante frisar que o braço do violão é projetado para um determinado tipo de cordas, de modo que se o violão tem cordas de nylon, o braço dele foi regulado para esse tipo de corda. Usar cordas diferentes pode fazer com que o braço do seu violão tenha problemas.

Caso você tenha um violão com cordas de aço e deseja colocar cordas de nylon, antes você deve levar a um luthier para que ele verifique se o seu violão tem um tensor ajustável ou se outro tipo de reparo pode ser feito.


Tipos de Corda

Já falamos disso com detalhes em um outro post (que você pode conferir aqui), mas resumidamente podemos dizer que as cordas de nylon são mais flexíveis, mais leves, e permitem maior facilidade para apertá-las e para fazer dedilhados. O violão clássico se utiliza desse tipo de corda.

Por sua vez, as cordas de aço são menos flexíveis. Geralmente se usa palheta para tocar esse tipo de corda. O iniciante sofre um pouco para aprender a interagir com violões que usam aço. Sua principal vantagem é a sonoridade.

Se você está iniciando no mundo do violão, opte por cordas de nylon com uma tensão mais leve. Porém se você comprar um violão com cordas de nylon, jamais tente colocar cordas de aço, sob o risco de perder seu violão!


Violão para crianças

Existem alguns modelos feitos especificamente para crianças. São violões com dimensões menores, especialmente desenhados para se adequarem ao estudante infantil. Vou citar alguns exemplos:

A Giannini possui o modelo GN-R que é para crianças de 03 a 06 anos. Possui também o modelo GN-6 que é para crianças de 06 a 09 anos. A Di Giorgio possui o modelo Piccolo, que também é indicado para ensino infantil.

Mas fique atento! Com relação aos violões infantis, tenha em mente que provavelmente se seu filho (a) continuar os estudos (que faço votos sinceros que sim!), você terá que trocar o instrumento no futuro para um maior. Dito isso, passemos as melhores indicações para violões para iniciantes. Levamos em consideração o custo/benefício do violão, pensando em pessoas que estão começando o estudo do instrumento. 


Violão para iniciantes – Linha infantil – Nossa indicação

1. Di Giorgio Piccolo

  • Dimensões: Caixa de ressonância 42cm
  • Tampo: Oregon Pine
  • Fundo: Pau Ferro
  • Lateral: Pau Ferro
  • Escala: Alpaca

2. Giannini GN-6 ( Indicado para crianças de 06 a 09 anos)

  • Tampo: Spruce
  • Fundo: Basswood
  • Lateral: Basswood
  • Braço: Chinese solid wood
  • Escala: Rosewood


Violão para iniciantes acima de doze anos

Esses modelos de violões possuem boa qualidade para o estudo de iniciantes.

1. Di Giorgio estudante n° 18 (Um dos violões mais indicados para estudante)

  • Tampo: Oregon Pine
  • Fundo: Pau Ferro
  • Lateral: Pau Ferro
  • Escala: Alpaca

2.  Giannini GN-15 (Violão da série Sonicx da Giannini)

  • Tampo: Sitka Spruce
  • Fundo: Linden
  • Lateral: Linden
  • Braço: Solid wood
  • Escala: Rosewood

3. Giannini N-14 (Violão da série Start da Giannini)

  • Tampo: Linden
  • Fundo: Linden
  • Lateral: Linden
  • Braço: Catalpa
  • Escala: Maple Escurecido


Violão para iniciantes de violão clássico

Esses modelos de violões são um pouco mais caros mas possuem ótima qualidade. Indicados para iniciantes de violão clássico.

1. Giannini GN-17 (Violão da série Estudo da Giannini)

  • Tampo: Sitka Spruce
  • Fundo: Sapelle
  • Lateral: Sapelle
  • Braço: Nato com tensor
  • Escala: Indian Rosewood


2. Eagle DH-69

  • Tampo: Spruce
  • Fundo: Mogno
  • Lateral: Mogno
  • Braço: Mogno Oriental
  • Escala: Jacarandá

3. Yamaha C40M

  • Tampo: Spruce
  • Fundo: Meranti
  • Lateral: Meranti
  • Braço: Nato
  • Escala: Rosewood (Jacarandá)

Violões para iniciantes com cordas de aço

Citamos acima apenas violões com cordas de nylon como sugestões de melhor violão para iniciantes porque os violões com cordas de aço são mais difíceis para o iniciante “apertar” as cordas. Porém os de aço são os preferidos por pessoas que gostam de tocar e cantar junto (modo popular). É possível cantar e tocar com um violão de nylon também, sem problemas. Mas muitas pessoas preferem o de aço porque a maioria das músicas que ouvem nas gravações dos seus artistas preferidos é feita com violões com cordas de aço. Isso por causa do volume e do brilho das cordas que ressalta frequências mais agudas nesse violão.

Então, muitos iniciantes começam com cordas de aço. Mas é um risco: o aluno pode sentir dificuldade e não se adaptar ao violão de aço. E, por conta disso, desanimar nos estudos. Seria interessante o aluno experimentar o violão de cordas de aço para sentir se consegue se adaptar ao instrumento antes de comprar.

Dito isso, como dica de violão com cordas de aço fica o Tagima Kansas:

1. Tagima Kansas

  • Tipo de violão: Elétroacústico
  • Formato do corpo: Folk com cutway
  • Tampo: Spruce
  • Fundo: Sapele
  • Lateral: Sapele
  • Cavalete: Rosewood
  • Braço: Mogno
  • Escala: Rosewood
  • Captação: Piezo
  • Pré: Tagima TEQ-5, ativo de 5 bandas e afinador
  • Controles: Volume, grave, médio, agudo, presence, brilliance

E por fim uma última dica: mesmo que o violão tenha uma linha de série como mostramos acima nunca um violão é igual ao outro. Portanto, mesmo que você esteja procurando um violão para iniciantes, experimente o violão antes de comprar. Sinta o seu som, perceba a força que você coloca nas cordas para emitir a nota desejada, observe a ressonância dele e todos os seus atributos. Se você já comprou um instrumento ou ganhou de presente e sente dificuldades com ele, vale a pena levá-lo a um Luthier para que ele possa deixar o violão mais fácil de manusear.

Estas são apenas algumas indicações. Escolha a vontade! Mas lembre-se: Depois de escolher seu violão, não deixe de visitar o INFOMUC e agendar uma aula experimental gratuita.  Temos professores prontos para explorar todo o seu talento musical, transformando você em um músico profissional.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CONTRABAIXO, BAIXO E BAIXO ELÉTRICO?

Qual a diferença entre contrabaixo, baixo e baixo elétrico?

Baixo, contrabaixo ou baixo elétrico são a mesma coisa? Há quem defenda que essas nomenclaturas se referem ao mesmo instrumento. Outros dizem que cada nomenclatura se refere a um instrumento diferente e preferem chamar cada instrumento pelo nome. Neste artigo vamos entender a razão de toda essa confusão. 


Contrabaixo

Quando se fala em contrabaixo, geralmente falamos de um instrumento acústico usado com muita frequência na música clássica. É o segundo maior e mais grave dos instrumentos de cordofone. Seu som é produzido pela vibração das cordas ao ser friccionada com um arco resinado, porém, pode também produzir o som se pressionado com os dedos, uma técnica chamada de pizzicato. Ele pode ser tocado de pé ou sentado por causa de seu grande tamanho.
Suas notas escritas soam uma oitava abaixo do que são escritas para evitar acrescentar linhas adicionais na pauta ou pentagrama.
Hoje em dia é utilizado nas orquestras como suporte para o violino e a viola. Usa-se também no rock, jazz, tango e sobretudo na música clássica.


Baixo ou Baixo Elétrico

Nesse caso estamos falando de um instrumento que bem mais recente que surgiu apenas em 1951 (lançado pelo americano Leo Fender). Este instrumento é muito usado desde então e se popularizou depois que as bandas de rock começaram a fazer sucesso. O baixo elétrico é muito usado em pop, jazz, rock, metal e funk. Sempre soa uma oitava abaixo das notas apresentadas na pauta. Ele precisa estar conectado a um amplificador para fazer sons. Desde os anos 50, ele substituiu o contrabaixo como o instrumento da seção rítmica. Quem tocar o baixo estabelece o campo harmônico e marca o tempo ou pulso rítmico.
Atualmente ele é usado como instrumento de acompanhamento ou como instrumento de solo na maioria dos estilos de música popular do mundo. Sua amplificação é produzida por meio de captadores eletromagnéticos e não com um tampo.


O que os torna tão similares?

Basicamente os nomes e o fato de produzirem um som grave, além de ambos serem responsáveis por estabelecerem o campo harmônico da música e marcar o tempo ou pulso rítmico.


Principais diferenças

Agora que você conhece o estilo dos dois instrumentos, vamos resumir aqui as principais diferenças:

  • Contrabaixo não requer amplificação;
  • Baixo elétrico necessita de amplificação;
  • Contrabaixo é mais usado na música clássica ou em grupos de jazz;
  • O baixo elétrico é mais usado em bandas dos mais diversos gêneros;
  • O braço do contrabaixo é mais suave;
  • O braço do baixo elétrico tem trastes como o violão;
  • O contrabaixo é sintonizado por quartas e é mais grave do que o baixo.

Com essas dicas, fica muito mais fácil entender a diferença entre os dois instrumentos, muito embora sejam bem parecidos.

Aqui no INFOMUC temos aula de baixo elétrico. Nossos professores estão prontos para ensinar você todos os truques deste instrumento, fazendo que você domine totalmente todas as técnicas referentes ele. Agende uma aula experimental gratuita e venha estudar conosco!

APRENDER A TOCAR VIOLÃO: O QUE DE FATO É NECESSÁRIO?

Para aprender a tocar violão, são necessárias três coisas: paciência, persistência e constância.
Quando eu comecei a aprender a tocar violão, ouvi uma frase que nunca esqueci: “Um violão é uma segunda namorada. Trate-o com carinho e esteja sempre com ele”. Quando alguém me pergunta o que seria necessário para aprender a tocar violão, eu sempre digo que são necessárias três coisas: paciência, persistência e constância.
Quem disser que você vai aprender a tocar violão da noite para o dia estará mentindo para você. Existem fatores que podem ou não acelerar o seu desenvolvimento e aprendizado com o instrumento. Um exemplo desses fatores são o professor com quem você estuda, o instrumento que você utiliza e o tempo e a frequência com que você estuda. Mas mesmo assim é preciso ter paciência com o seu ritmo de aprendizado. É importante também ser persistente com os exercícios e constante (de estudar sempre). É necessário praticar todos os dias pelo menos de 40 minutos a 1h30 (óbvio que isso vai do seu tempo e disponibilidade).


Mas o que eu devo estudar?

Bom esta resposta depende de muitos fatores. Você estuda em uma escola ou tenta aprender sozinho? Deseja estudar violão clássico ou popular? Tem algum conhecimento musical ou não? Eu particularmente defendo a ideia que todo mundo que queira aprender a tocar violão (ou seja, um iniciante), procure uma escola ou até mesmo um professor de música. Se você tem uma certa experiência e um certo domínio do instrumento, até é possível que você possa estudar sozinho. Mas o inciante precisa realmente de um bom professor. E por que?
Quando você aprende sozinho, você desenvolve alguns vícios que posteriormente te impedirão de avançar no domínio do instrumento, além de comprometer a sua virtuose. Já o professor te ajudará a começar do jeito certo. No começo, a pessoa que aprende sozinha pode até tocar a primeira música mais rápido. Porém em um determinado período do aprendizado esse aluno “autodidata” vai parar de avançar. Isso acontece por que ele não aprendeu as técnicas certas. Já o aluno que tem um professor vai avançar gradualmente e sempre. O professor além de ministrar os exercícios, observará seu rendimento, corrigindo erros e vícios antes que você se acostume com eles.
Se você deseja estudar sozinho, realmente não sei o lhe dizer o que seria melhor. E nem digo isso por mal. É por que realmente não tenho como saber o que você já aprendeu ou o que deseja aprender. Mas se você é iniciante e opta por uma escola como o INFOMUC, a dica é estudar tudo que o professor mandar. E mesmo se você em um determinado momento achar o exercício entediante ou sem sentido, continue estudando. No momento certo o professor vai lhe mostrar não apenas os avanços, mas o sentido de todo aquilo que ele ensinou. E você avançará bem mais rápido no estudo do seu instrumento do que resolvesse aprender por revistinhas ou por métodos de internet.
Quer fazer uma experiência interessante? Por que você não marca uma aula experimental de violão clássico ou popular aqui no INFOMUC? Temos professores preparados e habilitados para ensinar a você todos segredos do instrumento. Que tal a ideia?