INFOMUC traz as bandas “Waken Breeze” e “Comunidade Católica Colo de Deus” para o festival Cruz de Rebouças em Festa em Igarassu

750x430-CapaMusica INFOMUC traz as bandas "Waken Breeze" e "Comunidade Católica Colo de Deus" para o festival Cruz de Rebouças em Festa em Igarassu
Banda católica de Brasília – Waken Breeze

Dos dias 28 de outubro à 3 de novembro, Igarassu é palco do evento “Cruz de Rebouças em festa” em comemoração ao dia da consciência cristã no dia 31 de outubro.

O festival Cruz de Rebouças traz várias bandas e artistas gospel para o palco central, e a INFOMUC não poderia ficar de fora desta festa. Mesmo que esta seja a primeira vez que o instituto participa do evento, o grupo é conhecido por trazer artistas à eventos envolvendo música católica. Alguns exemplos aconteceram no festival “Reaviva Recife” e a “Festa de Nossa Senhora do Carmo”.

No evento de Igarassu, a Infomuc trará a participação de duas bandas católicas convidadas para subir ao palco: Waken Breeze e Colo de Deus – comunidade católica.

Comunidade_católica_colo_de_deus_-_banda INFOMUC traz as bandas "Waken Breeze" e "Comunidade Católica Colo de Deus" para o festival Cruz de Rebouças em Festa em Igarassu
Banda Colo de Deus Comunidade Católica

Waken Breeze é uma banda católica formada no ano de 2017 em Brasília, e tem influências do rock, folk e pop. Já a Comunidade Católica Colo de Deus foi formada no Paraná entre jovens artistas católicos. As bandas subirão ao palco para alegrar a platéia do evento amanhã, dia 02 de novembro, na Praça Cruz de Rebouças em Igarassu. Não perca a oportunidade de ver estas bandas ao vivo!

WhatsApp-Image-2019-11-01-at-15.06.08 INFOMUC traz as bandas "Waken Breeze" e "Comunidade Católica Colo de Deus" para o festival Cruz de Rebouças em Festa em Igarassu

Infomuc, através do seu fundador Celivaldo Lira, traz Show de Adriana Arydes para a Festa de Nossa Senhora do Carmo no Recife

Adriana-ArYdes-1024x682 Infomuc, através do seu fundador Celivaldo Lira, traz Show de Adriana Arydes para a Festa de Nossa Senhora do Carmo no Recife

De 12 a 16 de julho, a Arquidiocese de Olinda e Recife celebra a Festa de Nossa Senhora do Carmo – padroeira do Recife. Serão cinco dias de festa com missas, procissão, exposição fotográfica e muitos shows. O Infomuc – Instituto de Fomento e Apoio da Música Católica – pela primeira vez, participará da festa trazendo para a festa o Show da cantora católica Adriana Arydes.

Embora o Infomuc esteja participando da Festa de Nossa Senhora do Carmo pela primeira vez, ele tem um trabalho reconhecido no que diz respeito a eventos envolvendo a música católica, como por exemplo do Festa Reaviva Recife, onde trouxe a Banda Rosa de Saron, Davison Silva e a própria Adriana Arydes. Além de grandes eventos, o Infomuc conta com uma Escola de Música e além de projetos sociais. Estes em breve começarão a acontecer em diversas comunidades do Recife.

Será um momento único e incrível! A comunidade da Arquidiocese de Olinda e Recife poderá cantar grandes sucessos como Qual é a chave e muitas outras canções.

O show da cantora acontece dia 13 de julho (sábado) a partir das 21 horas no Pátio do Carmo. A entrada é franca e todos estão convidados. Venha a viver um momento espetacular de música, fé, oração e consagração a Santíssima Virgem Maria.

Encerramento da Festa

O encerramento das atividades será na segunda feira – dia 16 de julho, Dia de Nossa Senhora do Carmo. A programação religiosa termina com Procissão com a Imagem da Padroeira e missa campal. O cardeal e arcebispo da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta será o celebrante. Após missa solene, a tradicional procissão seguirá pela avenidas Martins de Barros; Praça da República, Rua do Sol e avenidas Guararapes e Dantas Barreto, até chegar à Praça do Carmo.

O que é classificação vocal e como saber qual é a classificação da sua voz

Você sabe qual é a sua classificação vocal?

Classificação vocal é um processo no qual um profissional da voz (como um professor de canto) através de testes vocais, conhece a extensão vocal de alguém e a partir disso define a voz dela. Você já deve ter ouvido falar sobre alguém que é soprano, tenor ou barítono. E se você iniciou no mundo do canto, provavelmente já tenha se perguntado: mas que tipo de voz é a minha?

Para que você entenda o processo, é necessário conhecer alguns conceitos básicos, sendo o primeiro deles o de extensão vocal.

O que é extensão vocal?

Extensão vocal é um intervalo de notas que varia da nota mais grave para a nota mais aguda que uma voz pode atingir, independente do esforço ou da afinação da pessoa. Alguns fatores biológicos são muito importantes para definir a extensão vocal de uma pessoa: as dimensões da laringe, as pregas vocais, as características físicas, a respiração entre outras. Dentro da extensão vocal, existe um conjunto de notas que a pessoa consegue emitir sem fazer muito esforço e com qualidade. A isso dá-se o nome de tessitura.

Quando alguém começa a fazer aulas de canto, seja na modalidade lírica ou na modalidade popular, cabe ao professor de canto identificar essa extensão e realizar a classificação vocal do aluno. Isso se dá através de diversos exercícios que o aluno precisa executar. O professor irá testar os seus limites quanto ao grave e depois os seus limites quanto a capacidade de notas mais agudas.

A partir do momento que o professor tem a sua extensão vocal detectada, ele classificará sua voz dentro de um padrão pré-estabelecido. Essa classificação vocal, possui três divisões básicas para vozes masculinas e três classificações vocais para vozes masculinas.

Obs: As subdivisões das vozes que você verá abaixo, estão no artigo de “Classificação Vocal”, de Márcio dos Santos, publicado no site da PUC SP.

Classificação vocal para vozes femininas

As vozes femininas são classificadas entre sopranos, mezzo-sopranos e contraltos.

Sopranos

A mais aguda das vozes femininas.

Soprano Lírico-Ligeiro: possui o brilho e expressividade de uma soprano lírico, porém com uma maior agilidade para fazer coloraturas

Soprano Lírico: voz mais brilhante e cheia de médios, também possui maior volume e dinâmica. Voz versátil e capaz de atravessar o peso de uma orquestra.

Soprano Lírico Spinto: são sopranos líricos que por características anatômicas singulares, desenvolvem um aspecto de peso na voz. Produzem timbre com características encorpadas e metálicas ao mesmo tempo.

Soprano Dramático: raro e de sonoridade escura, é o soprano mais grave. Possuem bastante resistência e conseguem cantar em grande volume por um tempo maior.

  • Sopranos da música popular: Gal Costa, Sandy e Sarah Brightman.
  • Sopranos da música católica: Ziza Fernandes

Mezzo-soprano

É uma voz intermediária que consegue transitar com muita facilidade entre graves e agudos. Poucas cantoras possuem tamanha versatilidade.

Mezzo-soprano Lírico: é também chamado em alguns lugares de “Mezzo-soprano Ligeiro”, pois apesar do timbre grave, assim como o “Soprano Ligeiro”, tem boa agilidade para volaturas.

Mezzo-soprano Dramático: de grande extensão, timbre escuro e bem grave.

  • Mezzo-sopranos da música popular: Elba Ramalho, Rita Lee e Marisa Monte

Contralto

É a voz feminina mais grave.

Contralto coloratura: é uma voz ágil, de alta sustentação de notas e de extensa coloratura. Dados os desvios das normas da classificação, este tipo de voz é bastante raro e especialista em passagens floridas e saltos.

Contralto lírico: é mais leve do que um contralto dramático, mas não é capaz da ornamentação e dos saltos de um contralto coloratura. Esta classe de contralto, mais leve no timbre do que os outros, é o mais comum hoje em dia.

Contralto dramático: é a voz mais dramática, profunda, escura e pesada de contralto, tendo geralmente mais poder do que os outros. Cantoras nesta classe, como as “Contraltos coloratura”, são raras.

  • Contraltos da música popular: Gal Costa, Sandy e Sarah Brightman.
  • Contraltos da música católica: Ir. Kelly Patrícia, Adryana Arydes e Eliana Ribeiro

Classificação vocal para vozes masculinas

As vozes masculinas são classificadas entre tenores, barítonos e baixos.

Tenor

A mais aguda das vozes masculinas.

Tenor Ligeiro: é a voz masculina natural mais aguda, também com facilidade para volaturas.

Tenor Lírico-Ligeiro: é um pouco mais encorpado que o “Ligeiro”, mas também tem facilidade pra agudos e volaturas.

Tenor Lírico: voz mais rica em harmônicos que a anterior, tem o timbre mais cheio.

Tenor Dramático: assim como o tipo “Soprano Dramático”, desenvolve grande volume e é mais raro no Brasil. É o “Tenor” mais grave.

  • Tenores na música popular: Nando Reis, Andre Matos, Zezé de Camargo e Xororó

Barítono

Uma voz intermediária. Transita bem entre graves e agudos.

Barítono Lírico ou Barítono Central: é comum como terceira voz em quartetos masculinos de música cristã.

Barítono Dramático: de voz bem grave e volumosa, também é chamado de “Baixo Cantante” ou “Baixo Barítono”.

  • Barítonos na música popular: Frank Sinatra e Chris Cornell.
  • Barítonos na música católica: Dunga, Laércio Oliveira e Dalvimar Gallo

Baixo

A voz masculina mais grave.

Baixo Profundo: timbre muito escuro, voz potente, impressionante e muito rara no Brasil. É encontrado com maior facilidade em países eslavos.

Baixo Superprofundo: é o tipo mais grave da voz humana. Seu timbre é escuro e extremamente grave.

  • Baixos na música popular: Tim Maia, Louis Armstrong, Zé Ramalho e Barry White
  • Baixos na música católica: Padre Fábio de Melo e Eugênio Jorge

Dentro do processo de classificação vocal, existe voz mais bonita do que a outra?

Algumas pessoas acham que a sua voz é feia, sobretudo se comparam a sua voz, a de outra pessoa. Na verdade não existe voz feia, o que é existe são vozes que cantam fora da sua tessitura vocal ou que não cantam da forma correta (sem a devida técnica).  Se um cantor cuja classificação vocal é dada como baixo, tenta cantar uma música com o mesmo tom de um tenor ou explorar as mesmas notas que o tenor costuma cantar, o resultado certamente não será bom, nem para quem canta, nem para quem escuta.

Por isso é importante conhecer a sua voz e a região na qual ela responde com maior qualidade. Se você é fã de um cantor ou cantora e tenta imitá-los, tenha cuidado! Sem perceber, você pode prejudicar sua voz.

Por isso é importante procurar uma escola de música que possa ajudar você a cantar bem. Venha fazer uma aula experimental de canto aqui no Infomuc. Você pode escolher entre o canto lírico ou popular e estudar com os melhores professores de canto do Recife.


Acesse:

Instituicional: https://infomuc.com.br 
Escola de Música: https://escola-de-musica.infomuc.com.br 
Produção Musical: https://producao-musical.infomuc.com.br

Estamos no facebook: https://www.facebook.com/INFOMUCOFICIAL 
Siga-nos no Instagram: https://www.instagram.com/infomucoficial
Se inscreva em nosso canal do Youtube: http://bit.ly/YOUTUBEINFOMUC

Origem do Piano: Sua história e particularidades

Sabe qual é a origem do piano?

A origem do piano é creditada ao inventor italiano Bartolomeu Cristofori, por volta de 1700. Mas o que muita gente não sabe é que o piano surgiu a partir de um outro instrumento: o cravo. Se você gosta de conhecer a história dos instrumentos, vale a pena ler esse texto.

O cravo é um instrumento não muito conhecido nos dias de hoje, mas era bastante comum no século XVIII. Ele é parecido com o piano e quem vê de longe talvez ache que tudo é o mesmo instrumento.

Na verdade, a grande diferença está na caixa de ressonância. No cravo original as cordas musicais são “beliscadas” por bicos de penas. Já no piano, as cordas são tocadas por uma peça chamada martelo que se afasta das cordas depois de tocadas. Com isso, o piano emite sons suaves e fortes a depender da intensidade que o músico aperta a tecla. O cravo por sua vez não tem essa característica: todas as notas possuem a mesma intensidade.

cravo-1024x536 Origem do Piano: Sua história e particularidades
Cravo Alemão | Fonte: www.imagens.usp.br

Da origem do piano até os dias de hoje

Apesar da origem do piano ter sido creditada a Cristofori, o modelo criado por precisou ser muito aperfeiçoado. Em 1776, o francês Marius mostra à Academia das Ciências um instrumento similar. Já em 1721, o alemão Schroeter mostra também um instrumento bem parecido, sendo aperfeiçoado em seguida por Silbermann.

A partir de 1783 o instrumento sofreu uma grande evolução: A criação do o pedal surdina e o pedal direito. Outro avanço se deu em 1821, com o francês Sébastien Erhard, que tornou possível o toque de uma tecla repetidamente. Depois disso, o instrumento foi aperfeiçoado a ponto de se tornar já no século XX um dos instrumentos mais tocados no mundo.

Quase todos os pianos modernos possuem 88 teclas, enquanto os antigos possuíam 84. As brancas são as notas naturais (dó, ré, mi, fá, sol, lá e si). Já as teclas pretas representam os acidentes, como os sustenidos e os bemóis.

Os pedais do Piano

Todos os pianos possuem dois pedais (alguns três), com funções perfeitamente diferenciadas.

O mais importante é o pedal direito. Ele tem duas funções: levantar os abafadores para permitir que a corda continue vibrando independentemente da ação dos dedos sobre a tecla e gerar efeitos diferenciados no som. Isso acontece por que ao levantar os abafadores, ele libera a possibilidade da vibração espontânea das cordas correspondentes.

O pedal esquerdo tem por efeito atenuar, diminuir a quantidade e o brilho da sonoridade mediante uma operação.

O terceiro pedal (o do meio), é chamado de pedal sustenido. Foi uma inovação de Steinway, que consistia em isolar determinada nota ou grupo de notas (em geral nos graves), que ficam a soar enquanto sobre ela se podiam fazer ouvir harmonias que lhe eram estranhas, contudo, a inovação foi abandonada pelos fabricantes, com da Steinway.

Chanel Wang tocando Chopin Nocturne Nº 20 em Dó Menor

A primeiras partituras do piano

Da origem do piano até a sua afirmação quanto instrumento, foram necessários anos de estudo técnica e aperfeiçoamento. Até que isso de fato ocorresse, as músicas tocadas no piano eram as mesmas que eram tocadas no cravo. Até então o cravo era o instrumento mais conhecido. A mudança só começou a acontecer com Clementi. Foi ele quem fez a primeira música, transcrita em partitura, exclusivamente para o piano.

Depois disso vieram outras. As primeiras sonatas de Beethoven são já inteiramente pianísticas e a sua execução inviável ao cravo. Com Schumann, Chopin e Liszt o piano se consolidou nas obras desses compositores.

Até então o instrumento já tinha alcançado popularidade e por isso, os melhores compositores passaram a olhar o instrumento por outro ângulo, criando diversas peças para o instrumento e tornando este um dos principais instrumentos do planeta.

Valentina Lisitsa interpreta a Rapsódia Húngara Nº 2 de Liszt

Depois de ler sobre a origem do piano, ficou com vontade de estudar o instrumento?

Se você deseja aprender a tocar piano, queremos convidar você a conhecer a Escola de Música do Infomuc. Temos o curso de Piano Clássico e Piano Popular. Professores graduados e especializados para ensinar você a tocar este belíssimo instrumento.


Acesse:

Instituicional: https://infomuc.com.br 
Escola de Música: https://escola-de-musica.infomuc.com.br 
Produção Musical: https://producao-musical.infomuc.com.br

Estamos no facebook: https://www.facebook.com/INFOMUCOFICIAL 
Siga-nos no Instagram: https://www.instagram.com/infomucoficial
Se inscreva em nosso canal do Youtube: http://bit.ly/YOUTUBEINFOMUC

Unhas: Como e por que um violonista deve cuidar delas?

unhas-violão-1024x682 Unhas: Como e por que um violonista deve cuidar delas?

As unhas são essenciais para quem deseja aprender a tocar violão, por isso o violonista precisa além de cuidar do seu instrumento, cuidar também das suas unhas. Elas são importantíssimas para o seu desenvolvimento com o instrumento e nesse texto nós vamos te explicar a razão disso.

Um violinista tem o arco para atacar as cordas. Um percussionista usa baquetas para atacar a bateria. Por sua vez o violonista (músico que toca violão) diversas possibilidades: dedos, unhas, palhetas e a combinação dedo e unha. A técnica de palheta, mais utilizada por guitarristas também tem sido efetuada pelos violonistas, no entanto, as técnicas para violão mais utilizadas são as técnicas com a unha, o dedo e a combinação dedo-unha.

O violonista Francisco Tárrega em seus estudos sugere que para o violonista clássico a melhor técnica a ser desenvolvida é a técnica exclusivamente do ataque com os dedos, mas essa técnica hoje conta com poucos adeptos. Atualmente, os professores de violão clássico e popular, utilizam as técnicas de unha e dedo-unha, fazendo com que seja fundamental o cuidado com elas afim de atingir os seus objetivos.

UTILIZANDO AS TÉCNICAS UNHA E DEDO-UNHA

Para deixar o texto mais claro, antes de falar sobre o cuidado com as unhas, é importante explicar as técnicas de unha e dedo-unha. A técnica de unha, sugere que o violonista ataque as cordas do violão exclusivamente usando as unhas. Com isso, o som produzido será mais metálico, semelhante ao som de uma palheta. Já a técnica dedo-unha, sugere que o violonista toque nas cordas utilizando parte do dedo e parte da unha. Então para você entender (levando em consideração que o músico é destro):

  • Para a técnica de dedo – Unhas curtas na mão direita
  • E para técnica de unha – Unhas grandes na mão direita
  • Já a técnica dedo-unha – Unha tamanho moderado na mão direita

O formato ideal da unha para violonistas no caso do uso da unha, é que ela acompanhe o formato do seu dedo. As unhas quadradas ou muito pontudas, prejudicam a sua performance, pois “agarram” a corda, prendendo seu dedo e diminuindo seu tempo de ataque.

Já no que se trata da mão esquerda, que a mão do braço do violão, as unhas devem ser curtas. Lembrando que caso o violonista seja canhoto e toque o violão de forma contrária, inverte-se a recomendação para as mãos.

CUIDADOS COM AS UNHAS

Existem alguns cuidados interessantes que o violonista precisa ter quando o assunto é unha. Segue um breve checklist:

  • Ter o seu próprio Kit Unha e andar com ele sempre que for tocar. Este kit é composto de: lixa de unha comum (tirar o excesso), lixa d’agua nº 400 (para tirar a rebarba que fica debaixo da unha), lixa d’agua nº600 (para dar o polimento);
  • Nunca deixar a unha quebrada por muito tempo;
  • Em caso de unhas fracas, procurar um dermatologista.

TENHO UNHAS FRACAS QUE QUEBRAM SEMPRE

Existem alguns fatores que fazem a unha ser fraca e quebradiça. Em alguns casos podem ser sintomas de algo bem mais grave. Abaixo listamos alguns:

  • Hipotireoidismo e Hipertireoidismo
  • Anemia
  • Deficiências Nutricionais
  • Doenças dermatológicas
  • Excesso de contato com produtos de limpeza
  • Uso excessivo de acetona
  • Roer unhas

Existem também alguns medicamentos que podem ser usados para fortalecer as unhas. Alguns deles você pode usar sem a prescrição médica, mas lembrando que é o dermatologista o mais indicado para verificar os sintomas e prescrever uma medicação.

  • Base para unhas fracas (consulte o dermatologista para que ele prescreva a melhor base para você usar. Algumas contém substâncias que podem fragilizar ainda mais suas unhas)
  • Remédio para unhas fracas – Um dos mais famosos remédios do tipo é o Pantogar. Ele contém uma série de minerais e vitaminas, como a queratina e o pantotenato de cálcio, que realmente ajudam a fortalecer a ponta das unhas. Outros medicamentos à base de biotina e silício orgânico também trazem ótimos resultados no tratamento da fragilidade.
  • Suplementos para unhas fracas
  • Produtos hidratantes

Agora que você já sabe como cuidar adequadamente das suas unhas, resta estudar e tocar bastante. Já pensou em estudar violão? Que tal conhecer o INFOMUC? Agende já sua visita e ganhe uma aula experimental gratuita! https://escola-de-musica.infomuc.com.br/index.html


Acesse:

Instituicional: https://infomuc.com.br 
Escola de Música: https://escola-de-musica.infomuc.com.br 
Produção Musical: https://producao-musical.infomuc.com.br

Estamos no facebook: https://www.facebook.com/INFOMUCOFICIAL 
Siga-nos no Instagram: https://www.instagram.com/infomucoficial
Se inscreva em nosso canal do Youtube: http://bit.ly/YOUTUBEINFOMUC

Comprovado: Cientistas afirmam que cantar diminui o nível de stresse

cantar-faz-bem-1024x683 Comprovado: Cientistas afirmam que cantar diminui o nível de stresse

Cantar é quase um remédio. Sabe aquele ditado popular que diz que “quem canta seus males espanta”? A máxima popular a cada dia que passa se torna mais verdadeira. Pelo menos assim pensam os cientistas. Desde 2004 estudos comprovam que cantar traz inúmeros benefícios tanto para a saúde física como para a saúde emocional das pessoas.

O primeiro estudo – na Alemanha – chegou à conclusão de que cantar em grupo afeta positivamente a produção de cortisol. Este é um hormônio que está diretamente ligado ao controle do stress, presença de açúcar no sangue e imunidade

Oito anos depois – Em 2012 – o Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de Oxford fez outra descoberta interessante. Eles afirmaram que o canto também proporciona a produção de endorfina, que está ligada à sensação de prazer e à imunidade a dor. O estudo foi realizado com pessoas que “cantam” em grupos vocais e corais diversos. A mesma pesquisa foi feita com pessoas que não cantam e o resultado foi diferente.

Mas você pensa que acabou? Uma terceira equipe formada por estudiosos na Universidade de Cardiff – País de Gales – realizou outra pesquisa valiosa. eles concluíram que pacientes com câncer em grupos de aula de canto em coral apresentaram melhorias relacionadas à qualidade de vida e depressão.

Achou pouco? Então lembre-se que aulas de canto ajudam – segundo a musicoterapia – o indivíduo a expressar sentimentos, a diminuir a timidez, aumentar a autoestima, corrigir a postura e respirar corretamente.

Além de cantar, tocar um instrumento musical também traz benefícios!

Tocar um instrumento musical também traz muitas vantagens. Quando a pessoa toca um instrumento, ela afeta partes do cérebro responsáveis pela coordenação motora fina, audição e visão. Segundo estudiosos, o fato de áreas diferentes do cérebro trabalharem ao mesmo tempo, é algo muito benéfico para a pessoa.

Ainda vale ressaltar que aprender a tocar um instrumento musical melhora a memória e desenvolve diversas funções cognitivas. Tanto para crianças quanto para idosos, esse tipo de aprendizado gera benefícios permanentes.

Se você deseja mais saúde e qualidade de vida, reserve um tempo para fazer aulas de canto ou aprender a tocar um instrumento musical aqui no INFOMUC. Temos mais de 20 cursos para você e professores especializados para proporcionar a você grandes aulas e um desenvolvimento constante, tornando você um músico profissional.

Visite nosso site, escolha o curso desejado e preencha o formulário. Nossa equipe entrará em contato com você para explicar tudo.

Acesse agora: https://escola-de-musica.infomuc.com.br

Que tal trocar o tablet por um instrumento musical?

Depositphotos_23700477_xl-2015-1024x783 Que tal trocar o tablet por um instrumento musical?
Segundo o espanhol Álvaro Bilbao, se os pais querem crianças inteligentes, precisam trocar o tablet de seus filhos por um instrumento musical ou similar

O que você faz para ocupar seus filhos? Dá a eles um tablet, um brinquedo educativo ou um instrumento musical? Embora as duas últimas opções sejam as mais adequadas, hoje a maioria dos pais prefere a primeira opção. E não é a toa que em todos os lugares vemos crianças perdidas com seus tablets.

Se você é pai ou mãe e infelizmente opta por deixar um tablet a todo instante com seu filho (mesmo que não admita publicamente), é preciso rever seus conceitos. Pelo menos de acordo com as últimas descobertas dos pesquisadores da área de educação infantil. Segundo o neuropsicólogo espanhol Álvaro Bilbao, se os pais querem crianças mais inteligentes, eles precisam tirar o iPad da mão dos seus filhos e dar a eles algo bem mais interessante: um instrumento musical. Esse e outros ensinamentos estão no livro O cérebro da Criança explicado aos pais (Editora Planeta – 1ª Edição).

Segundo ele, durante os primeiros seis anos de vida o cérebro infantil tem um potencial que nunca mais voltará a ter. Isto não significa que devamos tentar transformar os nossos filhos ou alunos em pequenos gênios. Mas significa que através de determinadas atividades, é possível estimular o desenvolvimento dos filhos de uma forma sadia e divertida. Um instrumento musical pode ser uma alternativa interessante. O aprendizado de um instrumento pode prevenir dificuldades como o déficit de atenção, a depressão infantil e problemas de comportamento. De acordo com este especialista, as aulas de música estimulam a capacidade de raciocínio das crianças mais do que a tecnologia. Segundo um estudo publicado na revista Psiquiatria Molecular, 50% da inteligência é determinada pelos genes mas os restantes 50% dependem dos estímulos que os mais pequenos recebem.

“Sem os pais, o potencial intelectual da criança não se desenvolve”, assegura Álvaro Bilbao.

A chave do desenvolvimento potencial do cérebro da criança está na sua relação com os pais. Ainda que a genética tenha um peso importante, sem essa presença não se materializará, assegura o especialista. Quando a criança ver o pai lendo ou tocando um instrumento musical, ela se sente estimulada a fazer o mesmo.

O que sugerem as últimas investigações internacionais defendidas por especialistas?

Aula de música e tocar um instrumento musical

Um estudo da Universidade de Toronto, publicado na revista Psychological Science, relacionou o desenvolvimento cognitivo com a aprendizagem de música. Durante um ano, três grupos de crianças de seis anos estudaram, separadamente, canto, piano e expressão dramática. Os que tiveram aulas de música revelaram padrões de inteligência maiores no final.

Não ver televisão

Há uns anos, estavam na moda os filmes de desenhos animados em DVD que aliavam figuras desenhadas à música clássica de compositores como Mozart e Beethoven. Muitos especialistas afirmavam que estimulavam a inteligência de bebês e crianças, uma teoria que muitos estudos internacionais desmentiram. A Associação Americana de Pediatria diz mesmo que as crianças com menos de 2 anos não devem ver televisão.

Evitar programa de desenvolvimento cerebral

Nos últimos anos, surgiram muitos jogos eletrônicos e aplicações móveis que asseguram que treinam o cérebro e estimulam a memória. A verdade é que não existe qualquer base científica que o comprove.

Ver filmes numa língua estrangeira

As crianças que veem filmes numa língua estrangeira tendem a adaptar-se mais facilmente a outros vocábulos e a outros sons. De acordo com um estudo europeu sobre competência linguística, levado a cabo pelo Ministerio de Educación, Cultura y Deporte de Espanha, os espanhóis têm dificuldade em compreender e em falar inglês porque, ao contrário dos portugueses, veem tudo dobrado.

Ler a duas vozes antes de ir para a cama

As histórias que os pais leem aos filhos para os adormecer devem ser lidas a duas vozes. O progenitor lê uma página e a criança lê a seguinte e por aí afora… Um estudo realizado no Canadá garante que este método permite melhorar a capacidade de aprendizagem dos mais pequenos.

E por que não colocar seu filho ou filha em uma aula de música para aprender um instrumento musical?

A música faz parte das manifestações do ser humano desde quando ele está na barriga da mãe. Ela é um tipo de linguagem que está presente de forma muito intensa nas nossas vidas desde pequenos. A criança absorve tudo: a melodia de uma caixinha de música, um instrumento musical, o rádio do carro, o toque do celular e até mesmo o barulho da rua.

A audição é o primeiro sentido que se forma na gestação, o som faz parte do desenvolvimento cognitivo desde antes de nascer. E essa habilidade do ser humano vem sendo aperfeiçoada ao longo dos anos, por meio da música.
A musicalização infantil desenvolve a apreciação musical e a sensibilização aos sons que já existem ao seu redor trabalhando a habilidade criadora, desde os primeiros meses. O estímulo musical, aumenta o comprimento dos feixes cerebrais, acarretando na multiplicidade de habilidades como a audição, cognição e até na ativação de conexões entre neurônios cerebrais.

Concentração e Criatividade

A música potencializa a plasticidade cerebral favorecendo conexões entre neurônios na área frontal, relacionada a processos de memorização e atenção. A prática musical desde a primeira infância de um instrumento musical desenvolve uma boa memória e a capacidade criativa de improviso. Em idosos, a música favorece a prevenção de Alzhimer, trabalhando a memória e o exercício mental.

Saúde Mental

O ensino musical também trabalha a autoestima, disciplina, superação de barreiras, socialização e trabalho em equipe. A prática ajuda a criança a superar seus limites e reconhecer suas forças e fraquezas. A prática com instrumentos musicais também pode ser um grande aliado no combate à depressão, estresse e ansiedade, melhorando o humor e ajudando na capacidade de reconhecimento e resolução de problemas.

Autismo e TDAH

A música reforça áreas cerebrais que, na criança com TDAH, são fracas como o córtex auditivo, visuo-espacial e motor do cérebro. Isso faz com que a criança melhore sua capacidade de concentração, autoestima, autoexpressão e desenvolvimento social. Em crianças com autismo, estímulos musicais têm sido responsáveis por ativar regiões do cérebro associadas ao processamento de emoções.

Desenvolvimento Neuropsicológico

Desenvolver habilidades musicais requer múltiplas funções cerebrais, tais como a função auditiva, para executar e apreciar a harmonia, ritmo, timbre, som, silêncio e demais propriedades sonoras; visual, na leitura de partituras, cifras e reconhecimento espacial do instrumento; e cognitivas, para tocar o instrumento. Dessa forma, a comunicação entre os dois lados do cérebro é estimulada, explicando assim a sua relação com o raciocínio e a matemática.

Habilidades de Liderança

O estudo de instrumentos musicais pode desenvolver habilidades de liderança nas crianças, justamente por trabalhar o equilíbrio, coordenação motora, autoconfiança, concentração elevada, e raciocínio mais ampliado. Essas habilidades ajudam a criança a melhorar seu desempenho também nos estudos escolares, e em seus relacionamentos sociais.

Enriquecimento Cultural

Ajuda a criança a conhecer a diversidade de estilos musicais que existem no mundo, além da história por trás de cada um deles. Põe o aluno em contato com diferentes culturas, países, épocas e lugares, ajudando a enxergar a música como forma de expressão de um momento ou grupo social.

Sensibilidade Emocional

Outro benefício, de extrema importância para o século da tecnologia, é que a música ajuda a trabalhar e desenvolver os sentimentos, ajudando a explorar e manifestá-los. Em um momento de individualismo e distanciamento, ter contato com seus sentimentos e compartilhar com os demais é essencial.


Acesse:

Instituicional: https://infomuc.com.br 
Escola de Música: https://escola-de-musica.infomuc.com.br 
Produção Musical: https://producao-musical.infomuc.com.br

Estamos no facebook: https://www.facebook.com/INFOMUCOFICIAL 
Siga-nos no Instagram: https://www.instagram.com/infomucoficial
Se inscreva em nosso canal do Youtube: http://bit.ly/YOUTUBEINFOMUC

Salmo 18B | Missa do III Domingo do Tempo Comum – Ano C | Salmos para a Missa

Neste post de hoje trazemos para você a melodia do Salmo do 3º Domingo do Tempo Comum – Ano C, que é o Salmo 18B. Aprenda, cante e se gostar, toque ai na missa da sua paróquia. Este é um serviço que INFOMUC disponibiliza para os músicos litúrgicos que tem dificuldade em fazer a melodia para o salmo.

Letra do Salmo 18B

Vossas palavras, Senhor, são espírito e vida! (2x)

A lei do Senhor Deus é perfeita,
Conforto para a alma!
O testemunho do Senhor é fiel,
Sabedoria dos humildes.

Vossas palavras, Senhor, são espírito e vida!

Os preceitos do Senhor são precisos,
Alegria ao coração.
O mandamento do Senhor é brilhante,
Para os olhos é uma luz.

Vossas palavras, Senhor, são espírito e vida!

É puro o temor do Senhor,
Imutável para sempre.
Os julgamentos do Senhor são corretos
E justos igualmente.

Vossas palavras, Senhor, são espírito e vida!

Que vos agrade o cantar dos meus lábios
E a voz da minha alma;
Que ela chegue até vós, ó Senhor,
Meu Rochedo e Redentor!

Vossas palavras, Senhor, são espírito e vida! (2x)

Toda semana uma nova melodia de salmos para você

Não sei se você sabe, mas desde o ano passado o INFOMUC iniciou o projeto Salmos, onde semanalmente publicamos em nosso Canal do Youtube e no nosso facebook a melodia do Salmo Dominical. Como você pôde conferir no vídeo acima, você também tem acesso as cifras para tocar esta melodia em sua paróquia. É um serviço que o INFOMUC disponibiliza para a Igreja Católica no Brasil e no mundo. Acompanhe nossas redes sociais e se inscreva em nosso canal do Youtube para saber de todas as novidades!

Conheça nossos sites:

Instituicional: https://infomuc.com.br
Escola de Música: https://escola-de-musica.infomuc.com.br
Produção Musical: https://producao-musical.infomuc.com.br

Estamos no facebook: https://www.facebook.com/INFOMUCOFICIAL

Siga-nos no Instagram:
https://www.instagram.com/infomucoficial

Nosso Canal no Youtube:
http://bit.ly/YOUTUBEINFOMUC

Cifras: saibam o que são e como utilizar

Todo mundo já ouviu falar de cifras. Quem começa a tocar violão logo se depara com elas. Mas o que são? O que significam? Como tocar usando cifras? Para responder a estas questões, preparamos uma espécie de tira-dúvidas a respeito deste assunto. Vamos lá?

Eu sempre digo que cifras é uma espécie de notação musical. Uma espécie de língua que só músico entende. Quem aprende cifras, aprende uma nova linguagem, pois basta vê-las e ele já sabe o que significa. É como aprender inglês ou francês, por exemplo. No início pode parecer algo muito complicado, mas na medida que você vai se familiarizando, fica cada vez mais fácil.

Se eu pudesse definir o que são cifras, eu diria que as cifras musicais nada mais são do que um conjunto de símbolos, que identificam os acordes.

O que são acordes?

Acordes são um conjunto de notas tocadas ao mesmo tempo. Quando você toca em um instrumento três notas ao mesmo tempo, você faz um acorde. Toda música tem um conjunto de acordes que faz a harmonia da música.

Em uma música, podemos dizer que o cantor ao interpretar uma canção, ele faz o que chamamos de linha melódica. Já o violão ou o teclado, quando “acompanha” o cantor, faz a linha harmônica da música. As cifras ajudam o músico a identificar qual o acorde tocar. Porém para isso, é preciso entender as letras e as extensões que compõem os acordes.

As letras utilizadas nas cifras e as notas correspondentes

O aspecto mais importante das cifras são as letras que variam de (A a G). Cada letra representa uma nota musical. Veja:

A – LÁ
B – SI
C – DÓ
D – RÉ
E – MI
F – FÁ
G – SOL

Normalmente quando pensamos em uma escala, geralmente pensamos em uma escala de Dó Maior (que a escala natural). Mas na época em que as cifras foram inventadas, a escala mais utilizada era a escala de Lá Maior. Por isso a letra A corresponde ao Lá Maior. As outras seguem conforme a sequência.

Conhecendo as extensões da cifra:

As extensões são símbolos que unidos as letras já citadas, ajudam você a identificar o acorde com mais exatidão. Caso a música peça um acorde mais incrementado, você verá além das letras, alguns símbolos como por exemplo:

# – Sustenido
b – Bemol
o ou dim – Diminuto
+ – Aumentado
alt – Alterado (quinta)
m – Menor
maj7 ou 7M – Acorde sétima maior
7 – Acorde com sétima menor
4 – Acorde com quarta
sus4 – Acorde com terça suspensa e quarta adicionada
6 – Acorde com sexta
9 – Acorde com nona
13 – Acorde com décima terceira

Montando a grafia de um acorde em cifras

Quando você entende todas as letras e símbolos, montar a grafia de um acorde fica muito fácil.

C – Acorde de Dó Maior
Cm – Acorde de Dó Menor
C#7 – Acorde de Dó Sustenido com sétima menor
C#m7 – Acorde de Dó Sustenido menor com sétima menor
Db – Acorde de Ré Bemol
G7/9 – Sol com sétima menor e nona

Diferente do que muita gente pensa, são vários os instrumentos que se utilizam das cifras e não apenas o violão. Na verdade, todos os instrumentos harmônicos (violão, teclado, cavaquinho, piano, etc) podem se utilizar delas para “acompanhar” uma determinada música.

Em um próximo texto, falaremos sobre os diagramas de acordes, que são imagens que representam o braço de um violão e o local onde os dedos devem ser colocados.

Grande abraço e até a próxima!

Salmo 95 | Missa do II Domingo do Tempo Comum – Ano C | Salmos para a Missa

O Salmo 95 é um Salmo de Louvor e Júbilo. E esse é o Salmo do Segundo Domingo do Tempo Comum, Ano C. Para ele fizemos uma melodia diferente, que dentro da nossa percepção, cabe muito no contexto dele. Que ouvir, aprender e tocar ai na sua paróquia?

Salmo 95 – II Domingo do Tempo Comum Ano C

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
Manifestai os seus prodígios entre os povos!

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
Manifestai os seus prodígios entre os povos!

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
Cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira!
Cantai e bendizei seu santo nome!

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
Manifestai os seus prodígios entre os povos!

Dia após dia anunciai sua salvação,
Manifestai a sua glória entre as nações,
E entre os povos do universo seus prodígios!

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
Manifestai os seus prodígios entre os povos!

Ó família das nações, dai ao Senhor,
Ó nações, dai ao Senhor poder e glória,
Dai-lhe a glória que é devida ao seu nome!
Oferecei um sacrifício nos seus átrios.

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
Manifestai os seus prodígios entre os povos!

Adorai-o no esplendor da santidade,
Terra inteira, estremecei diante dele!
Publicai entre as nações: “Reina o Senhor!”
Pois os povos ele julga com justiça.

Toda semana uma nova melodia de salmos para você

Não sei se você sabe, mas desde o ano passado o INFOMUC iniciou o projeto Salmos, onde semanalmente publicamos em nosso Canal do Youtube e no nosso facebook a melodia do Salmo Dominical. Como você pôde conferir no vídeo acima, você também tem acesso as cifras para tocar esta melodia em sua paróquia. É um serviço que o INFOMUC disponibiliza para a Igreja Católica no Brasil e no mundo. Acompanhe nossas redes sociais e se inscreva em nosso canal do Youtube para saber de todas as novidades!

Conheça nossos sites:

Instituicional: https://infomuc.com.br
Escola de Música: https://escola-de-musica.infomuc.com.br
Produção Musical: https://producao-musical.infomuc.com.br

Estamos no facebook: https://www.facebook.com/INFOMUCOFICIAL

Siga-nos no Instagram:
https://www.instagram.com/infomucoficial

Nosso Canal no Youtube:
http://bit.ly/YOUTUBEINFOMUC